3 atualizações no código do bitcoin que aconteceram e você não ficou sabendo

banner tres atualizacoes do bitcoin 1300x800 770x415 1 - 3 atualizações no código do bitcoin que aconteceram e você não ficou sabendo

É natural que em um mercado com grande volatilidade o preço sempre ganhe as manchetes dos canais de notícias.

Bitcoin cai e bitcoin sobe é o que realmente a maioria das pessoas querem saber e em um ciclo que se retroalimenta a mídia em geral segue falando apenas de preço.

Por outro lado, o que dará longevidade aos criptoativos é a sua evolução tecnológica que passa longe das principais manchetes.

Por isso gostaria de usar esse espaço para falar sobre 3 avanços que o protocolo do bitcoin teve esse ano e que muito provavelmente você não ficou sabendo.

No entanto, são esses avanços citados e centenas de outros não citados que deveriam ser o seu foco de atenção para investir nessa classe de ativos para o longo prazo.

Então vamos lá.

 

1 – Prova de reservas

Essa foi uma proposta feita pela Blockstream, empresa do ramo cripto, no final de janeiro deste ano.

A ideia por traz da iniciativa é fazer com que corretoras do mercado possam provar que possuem realmente os recursos em suas carteiras sem abrir brechas de segurança.

Antes da solução proposta pela Blockstream, o meio mais racional de se provar que alguém possuía certos fundos era mover uma parte dos, ou todo os, fundos para um novo endereço.

Se você entende bem a dinâmica de como funciona o blockchain sabe que uma pessoa ou empresa que consegue mover saldo de um endereço para o outro é dona daquele ativo.

No entanto, essa movimentação abre brechas de vulnerabilidade e hackers poderiam se aproveitar desse momento para atacar e acessar os valores transacionados.

Exatamente por isso a proposta da Blockstream foi permitir que uma transação “falsa” fosse criada para mover todo o saldo de um endereço, provando que a pessoa possuía as chaves privadas.

Digo que a transação é falsa porque de fato não acorre nenhuma movimentação de saldos. Em uma analogia com um cofre, seria como se uma pessoa para provar que é dona do cofre o abrisse por um breve segundo e logo na sequência o fechasse, isso provaria que a chave realmente corresponde a fechadura.

Dessa forma, a prova de reservas é feita e qualquer um pode auditar que uma transação do saldo completo poderia ser feita, mesmo ela nunca sendo realizada.

A Blockstream submeteu a proposta no dia 29 de janeiro e depois de algumas interações com a comunidade a atualização foi inserida no código do bitcoin no dia 3 de abril.

 

2 – Bitcoin sem a necessidade de internet

Em maio desse ano Rodolfo Novak, Elaine Ou, Adam Back e Richard Myers, todas figuras bem conhecidas na comunidade cripto, fizeram uma apresentação de uma alternativa ao funcionamento do bitcoin, sem internet.

Em um painel que ocorreu na Magical Crypto Conference, os quatro nomes proeminentes do mercado cripto apresentaram a TxTenna, uma alternativa para usar o bitcoin em uma rede de rádio e sem a necessidade de internet.

A proposta é um aparelho, como esse da foto acima, que por meio de uma conexão bluetooth com o celular e uma conexão a rádio consegue propagar as transações de um nó do bitcoin através da rede.

Esse avanço pode não parecer algo grande olhando para a situação atual, na qual boa parte da população vive com acesso a internet, mas em um cenário diferente, bitcoin funcionando através de ondas de rádio seria um plano b.

Isso faz com que o principal ativo do mercado cripto ganhe robustez e funcione inclusive em situações extremas no mundo, como em caso de guerras. Pode parecer exagero, mas se bitcoin pode exercer papel de seguro contra catástrofe, funcionar via rádio pode ser uma vantagem inclusive em relação ao ouro.

 

3 – Contratos futuros na rede do bitcoin

A Blockstream e a Crypto Garage criaram um contrato de derivativo dentro da rede do bitcoin sem a necessidade de uma outra empresa intermediando.

Atualmente as maneiras mais comuns de se apostar no valor futuro do do bitcoin por meio de um contrato de derivativo é através de plataformas como a da Bitmex e da CME (Chicago Mercantile Exchange).

O que a Blockstream e a Crypto Garage fizeram foi criar um protótipo de contrato futuro de preço do bitcoin dentro do próprio sistema do bitcoin. Para isso as empresas alocaram cada uma a margem de 0,16 bitcoins ligadas a um contrato inteligente criada entre as partes.

O acordo fechado em abril desse ano foi em relação ao preço no dia 16 de abril às 00:00 UTC que teve o alvo de US$ 5.250,00. Para o acordo ser fechado entre duas partes a Blockstream entrou na ponta long, apostando na subida do bitcoin.  Então, se o BTC estivesse acima do preço alvo, eles ganhariam.

Do outro lado, a Crypto Garage entrou na ponta short, apostando na queda do bitcoin. Logo, se o BTC estivesse abaixo do valor alvo, eles lucrariam. O que aconteceu é que na data e hora marcada o bitcoin valia US$ 5.032,00, o que fez a Crypto Garage lucrar US$230.

Essa inovação, mesmo que inicial mostra uma outra utilidade para a rede do bitcoin que poucos conhece, que é a de criação de contratos inteligentes mais simples. Não acredito que esse tipo de derivativo dentro da rede do bitcoin venha a substituir plataformas centralizadas de negociação de contratos futuros, mas funciona como uma alternativa aos mais fanáticos pela descentralização.

 

Conclusão

Como disse no início do texto, existiram outras centenas de atualizações no código do bitcoin que podem não ter chamado tão a atenção como as três citadas acima, mas são importantes no conjunto.

Digo isso porque semanalmente o site Bitcoin Optech divulga os avanços que são inseridos no códigos e também aqueles que são propostos. Basta entrar na página e ver que toda semana existem avanços sendo implementados dentro da rede.

Mesmo assim, é normal que as pessoas pouco percebam que isso acontece, pois é um trabalho por trás das cortinas que sem base técnica é de difícil entendimento.

Por outro lado, se você tem uma aposta patrimonial maior do que 5% do seu portfólio, o que não é aconselhável, é ideal que você acompanhe e entenda grande parte dos avanços que estão sendo feitos no protocolo do bitcoin.

E além desses três avanços que citei no artigo de hoje, qual outro você considera de igual importância? Entra em contato comigo pelo Instagram e me diz o que eu deixei passar. Adoro receber feedbacks.

Abraço e até a próxima.

Invista em bitcoins com segurança, facilidade e taxa ZERO: abra uma conta gratuita na XDEX

Sobre o Autor:

André Araujo – Engenheiro mecatrônico formado pela USP que adora consumir conteúdos de inovação. Foi para o mercado financeiro por um desejo pessoal de investir melhor seu dinheiro e descobriu o bitcoin nessa jornada. Desde 2015 investe em cripto e em 2017 passou a viver profissionalmente desse nicho de mercado. Hoje é obstinado por procurar as melhores ideias de investimento na criptoeconomia.

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são de responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião da XDEX ou de seus controladores.

Deixe uma resposta