Blockstream Meetup, véspera da Baltic Honeybadger Conference 2019

Blockstream Meetup, véspera da Baltic Honeybadger Conference 2019

Mercado e Tendências
13 de setembro de 2019 por XDEX
35
Hoje, sexta-feira, dia 13 de setembro, ocorreu o meetup da empresa Blockstream, cujo fundador é ninguém menos que Adam Back, criptógrafo inglês, autor de “Hashcash” de 1997, trabalho que serviu como referência para o paper de Satoshi Nakamoto. Além de Back, a Blockstream também conta com o desenvolvedor Peter Wuille, um dos mais respeitados contribuidores
Banner sobre a conferência Baltic Honeybadge

Hoje, sexta-feira, dia 13 de setembro, ocorreu o meetup da empresa Blockstream, cujo fundador é ninguém menos que Adam Back, criptógrafo inglês, autor de “Hashcash” de 1997, trabalho que serviu como referência para o paper de Satoshi Nakamoto.

Além de Back, a Blockstream também conta com o desenvolvedor Peter Wuille, um dos mais respeitados contribuidores do Bitcoin Core, a principal implementação do Bitcoin.

O meetup aconteceu em Riga, na Letônia, cidade anfitriã da Baltic Honeybadger Conference que chega a sua terceira edição.

Evento Blockchain 1024x684 - Blockstream Meetup, véspera da Baltic Honeybadger Conference 2019

As apresentações foram realizadas por Samson Mow (CMO da Blockstream), Lina Seiche (BTSE, membro da rede Liquid) e pelo próprio Back. O foco das discussões foi justamente a rede Liquid, desenvolvida pela empresa.

Publicidade:

728x90 2 - Blockstream Meetup, véspera da Baltic Honeybadger Conference 2019

A proposta da Liquid é prover uma alternativa às exchanges, investidores, mesas de OTC, que dependa menos da confiança e com maior velocidade de liquidação das transações. Para isso, a rede usa um blockchain “lastreado” (pegged) ao blockchain do bitcoin; mas, ao contrário deste, a Liquid depende de membros (ou “functionaries”, na denominação oficial) responsáveis pela validação e liquidação das transações.

Portanto, a rede não é completamente distribuída, mas tem, sim, potencial de oferecer uma alternativa mais rápida e mais “trust-minimized”, ou seja, menos dependente da confiança exclusiva em exchanges.

Enfim, o projeto ainda está sendo desenvolvido e testado por poucos membros.

Adam Back também apresentou a proposta de um nova linguagem de programação chamada Simplicity. Mas aí já entramos em muita tecnicalidade que foge um pouco do nosso objetivo aqui.

A Baltic Honeybadger inicia oficialmente amanhã, dia 14 de setembro, com o polêmico painel “Opiniões Impopulares sobre o Bitcoin” com várias personalidades da indústria como Jimmy Song, Eric Voskuil, Oleg Andreev, Samson Mow e WhalePanda. Toda a agenda pode ser conferida aqui.

Felizmente, já pude trocar ideias com vários dos palestrantes convidados, muitos dos quais conhecia apenas pelo “bitcoin twitter”. Destaco a conversa que tive com Eric Lombrozo, desenvolvedor do Bitcoin Core, relembrando a saga do Segwit2x de 2017. Quem já estava nesse mundo à época, sabe muito bem das tensões daquele ano em torno da escalabilidade do bitcoin. Aqueles que quiserem relembrar todo imbróglio, recomendo esta playlist de vídeos explicando o consenso da rede.

Ah, para quem não sabe, o evento é centrado, principalmente, no bitcoin e nas suas derivadas.
Fiquem ligados no instagram da XDEX e aqui no nosso blog, pois traremos mais destaques e informações importantes de tudo que estará rolando pela conferência.

Um bom fim de semana a todos!

Invista em criptoativos com segurança e taxa zero aqui na XDEX. Clique aqui e abra sua conta gratuitamente.

Sobre o Autor:

Fernando Ulrich – Analista-Chefe da XDEX e mestre em Economia da Escola Austríaca, com experiência mundial na indústria de elevadores e nos mercados financeiro e imobiliário brasileiros. É conselheiro do Instituto Mises Brasil, estudioso de teoria monetária, entusiasta de moedas digitais, e mantém um blog no portal InfoMoney chamado “Moeda na era digital”. Também é autor do livro “Bitcoin – a moeda na era digital.

Adicionar um comentário