Cripto Semanal #10

xdex criptomoedas semanal fernando ulrich

O fim da semana passada apresentou uma elevação na volatilidade acompanhada de um rally na maioria dos criptoativos, com destaque para a cotação do litecoin que chegou a subir cerca de 30%.

XDEX - Tabela de cotação de bitcoin e outras criptomoedas - 20190211

Uma alta expressiva na cotação do litecoin

Supostamente, a razão por trás da alta expressiva na cotação do litecoin seria o anúncio da Litecoin Foundation que estaria conversando com os desenvolvedores da Beam para trazer as inovações do protocolo MimbleWimble ao LTC também.

Exatamente um ano atrás, o litecoin teve uma forte subida, acima de 30%, em virtude de uma menção ao projeto pela Microsoft e ao comunicado da Coinbase anunciando integração do LTC à plataforma de pagamentos.

XDEX - Tabela de cotação de litecoin - 20190128

Lightning Network é posta à prova

No #BitcoinTwitter, um exemplo do potencial da Lightning Network (LN), a chamada rede relâmpago, foi posto à prova. Numa ideia despretensiosa, o usuário @hodlnout iniciou uma “corrente de confiança com a LN” em que cada usuário recipiente de um tweet com um montante pago pela LN deveria agregar mais 10 satoshis (a menor denominação do bitcoin, 100 mil sats = 1 BTC) e pagar a próxima pessoa.

A corrente deu tão certo que ninguém menos que Jack Dorsey, CEO do Twitter e da Square Inc., não apenas recebeu uma transação pela LN como também prosseguiu com a brincadeira e, de quebra, ainda concordou em conceder uma entrevista conjunta com Elizabeth Stark ao podcaster Stephan Livera. Stark é CEO da Lightning Labs, a principal empresa desenvolvendo soluções com o protocolo da LN, cujo um dos investidores é a Square Inc. de Dorsey.

Quando perguntado sobre quais outras critpos ele tinha em carteira, Dorsey respondeu “tenho apenas bitcoin”.

Outra empresa que aposta todas as fichas no bitcoin é o aplicativo ABRA, uma espécie de uberização do mercado de remessas internacionais. Bitcoin é a tecnologia utilizada pelo app para permitir remessas de baixo custo e peer-to-peer. Agora a empresa acaba de anunciar que oferecerá não apenas remessas mas também investimento em ações, ETFs, criptoativos e o que mais for possível. E tudo, novamente, através da rede do bitcoin como a infraestrutura subjacente.

Inovação e regulação no mundo das criptomoedas

No campo do Ethereum Classic (ETC), tivemos uma notícia muito importante na semana passada. Segundo reportado pela Coindesk, a plataforma de buscas e análises de bigdata do Google, a BigQuery, sem nenhum alarde adicionou suporte ao blockchain do ETC.

Esse movimento é transformador, conforme comenta o brasileiro Edilson Osorio Jr., CEO da OriginalMy, empresa de notarização em blockchain. “Vasculhar e buscar dados com o BigQuery será tão rápido que não precisarei mais ter bases de dados locais redundantes”, afirmou Edilson à Coindesk.

Digno de menção, também, é o discurso de Hester M. Pierce, comissária da Securities & Exchange Commission (SEC, a CVM americana) sobre inovação e regulação. Pierce reconhece os limites da regulação e lamenta quando projetos como o da “stablecoin algorítmica Basis encerram as atividades devido a riscos regulatórios”.

Esbanjando pleno domínio da tecnologia do bitcoin, a comissária pondera sobre como e quando adotar regulação de modo a não prejudicar a inovação tecnológica nos mercados financeiros. Vale ler na íntegra.

Em países como os Estados Unidos, inovação financeira significa crescimento econômico, oportunidades de negócio, ganhos de eficiência. Mas, nos chamados mercados emergentes (emerging markets), a disrupção tecnológica iniciada pelo bitcoin é, sobretudo, uma válvula de escape, é libertadora.

Em um excelente estudo sobre uso e adoção nas economias em desenvolvimento, Matt Ahlborg demonstra como o bitcoin tende a se sobressair justamente nas regiões onde há baixo índice de liberdade econômica.

Os benefícios do dinheiro eletrônico

Para encerrar, compartilho um artigo oportuno e necessário sobre a preservação da “privacidade de transacionar online”. Escrito por Jerry Brito, fundador e presidente da Coin Center, uma entidade sem fins lucrativos dedicada à promoção e à defesa de tecnologias como a do bitcoin e do ethereum, o texto traz ao debate a “questão moral sobre o dinheiro eletrônico”.

O autor conclui afirmando que o “dinheiro em espécie – e crescentemente no mundo digital, o dinheiro eletrônico – é uma ferramenta que os indivíduos cumpridores da lei podem usar para proteger a privacidade, autonomia e, em última instância, a dignidade. Ele deve ser não apenas tolerado, como encorajado e celebrado.”

Uma boa semana a todos e não deixem de conferir nosso relatório “Retrospectiva Cripto 2018” acessível por este link.

Se você perdeu o Cripto Semanal #9, confira aqui.

Fernando Ulrich
Analista-Chefe da XDEX
www.xdex.com.br

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *