Cripto Semanal #11

Cripto Semanal #11

Institucional
18 de fevereiro de 2019 por XDEX
110
O mercado começa a se movimentar. Depois de uma semana relativamente estável, amanhecemos com um rally nos criptoativos. Bitcoin está próximo da máxima de 2019 (US$ 4.000), sendo negociado nesta manhã de segunda por US$ 3.800. Mas a alta mais expressiva pertence ao ether, mais de 15% nas últimas 24 horas. Escrever esta carta semanal
Banner Cripto Semanal XDEX

O mercado começa a se movimentar.

Depois de uma semana relativamente estável, amanhecemos com um rally nos criptoativos. Bitcoin está próximo da máxima de 2019 (US$ 4.000), sendo negociado nesta manhã de segunda por US$ 3.800.

XDEX - Tabela de cotação de bitcoin e outras criptomoedas - 20190218

Mas a alta mais expressiva pertence ao ether, mais de 15% nas últimas 24 horas.

XDEX - Tabela de cotação de ethereum - 20190128

Escrever esta carta semanal é um enorme desafio. Não pelo exercício da escrita em si — esta é a parte fácil –, mas sim devido à vasta quantidade de notícias, artigos, novidades, análises. Destacar as melhores merecedoras de um limitado espaço aqui não é uma tarefa fácil. Mas não nos esquivaremos da responsabilidade.

BitMex e o seu próprio fundo de seguro

Pois bem, para iniciar, recomendo a leitura do artigo da BitMEX Research sobre o fundo de seguro (insurance fund) da própria exchange. A área de research da BitMEX sempre nos presenteia com análises pertinentes e muito bem embasadas. Desta vez, o foco é o mecanismo de solvência da plataforma.

Publicidade:

728x90 2 - Cripto Semanal #11

Por se tratar de uma bolsa de futuros que permite até 100x de alavancagem, entender o funcionamento desse “insurance fund” é fundamental. Ainda mais porque estamos diante de uma bolsa voltada ao varejo e sem toda a rede de contrapartes envolvidas no mercado de derivativos e futuros tradicional como o da Chicago Mercantile Exchange (CME).

Uma transação de bitcoin através de ondas de rádio? Sim, é possível.

No âmbito estrito da tecnologia, a inovação da semana vai para o Rodolfo Novak da Coinkite ao completar uma transação de bitcoin através de ondas curtas de rádio amador (bandas de 40 metros, 7 MHz) entre Toronto, no Canadá, e Michigan, nos EUA. A crítica recorrente de que o bitcoin depende da internet para funcionar cada vez se sustenta menos. Bitcoin por satélite e, agora, por rádio, são realidades.

Fundos de pensão públicos iniciam investimento focado em criptoativos e blockchain.

Os chamados investidores institucionais deram um passo importante na semana que passou. Liderados pela Morgan Creek Digital, dois fundos de pensão públicos anunciaram investimentos âncoras num fundo de venture capital de US$ 40 milhões focado exclusivamente em criptoativos e blockchain. Ambos são de Fairfax, Virgína, o “Police Officer’s Retirement System” e o “Employees’ Retirement System”.

Ao que tudo indica, esta é a primeira vez que fundos de pensão adicionam exposição à tecnologia em seus portfolios. Ouso dizer, contudo, que será a primeira de muitas. Nesta segunda-feira, analistas da Cambridge Associates, consultores de investimento para fundos de pensão e fundações, defenderam a inclusão de criptoativos aos porftolios. “Apesar dos desafios, acreditados valer a pena para investidores começarem a explorar essa área hoje com uma visão de longo prazo,” afirmou a empresa numa nota aos clientes, “embora os investimentos carreguem um alto grau de risco, alguns podem de fato subverter o mundo digital.”

A Nasdaq certamente concorda com essa possibilidade e, por conta disso, passará a fornecer a partir do próximo dia 25 dois índices de bitcoin e ether na sua plataforma Nasdaq Global Index Data ServiceSM (GIDS).

JP Morgan laça sua própria criptomoeda.

A notícia mais bombástica da semana, porém, foi o anúncio de que o banco JP Morgan estaria lançando sua própria criptomoeda. Sim, este é o banco cujo CEO Jamie Dimon acusou o bitcoin de ser uma fraude em setembro de 2017.

Mas seria mesmo uma criptomoeda? Segundo Jerry Britto, do Coin Center, “se a JPM Coin é uma criptomoeda, então créditos do Facebook e o dinheirinho do World of Warcraft também o são.” O que o banco JP Morgan está criando é um novo sistema de pagamentos inspirado na tecnologia do blockchain, mas fechado, privado. A suposta JPM Coin rodará no seu blockchain permissionado chamado de Quorum.

O mais interessante dessa novidade é a concorrência que o JP Morgan pode trazer ao próprio Ripple, já que o banco está mirando no mesmo mercado: pagamentos entre instituições financeiras no mercado doméstico e internacional.

Por sinal, o CEO da Ripple, Brad Garlinghouse, elogiou a iniciativa comentando que isso marca uma mudança de sentimento dos grandes bancos em relação à tecnologia. Mas, segundo Brad, JPM Coin não é a solução porque se trata de um blockchain fechado e centralizado, quando deveria ser aberto e descentralizado, como o sistema de Brad. Deixarei para os críticos debaterem o quão descentralizado é o Ripple.

Uma boa semana a todos.

Se você perdeu o Cripto Semanal #10confira aqui.

Fernando Ulrich
Analista-Chefe da XDEX
www.xdex.com.br

Adicionar um comentário