Cripto Semanal #17

Cripto Semanal #17

Institucional
1 de abril de 2019 por XDEX
82
Nesta última semana, o mercado de criptoativos registrou uma alta considerável, com Bitcoin, Litecoin, Dash e Zcash batendo as máximas para o ano de 2019. Até o dia de hoje, o bitcoin apresenta 10,1% de valorização no ano. Alguns assuntos interessantes dominaram a “criptosfera” na última semana. Um deles é a crescente procura por rendimento
Banner Cripto Semanal XDEX

Nesta última semana, o mercado de criptoativos registrou uma alta considerável, com Bitcoin, Litecoin, Dash e Zcash batendo as máximas para o ano de 2019.

20190401 Tabela 1 - Cripto Semanal #17

Até o dia de hoje, o bitcoin apresenta 10,1% de valorização no ano.

20190401 GraficoBTC 1 - Cripto Semanal #17

Alguns assuntos interessantes dominaram a “criptosfera” na última semana. Um deles é a crescente procura por rendimento (yield) com criptoativos por parte dos investidores que têm capital “parado” nesses novos instrumentos.

De que forma isso é possível nesse mundo? Não é estratégia de trading, não. Na verdade, trata-se de “staking”, colocar criptos como participação em protocolos em que não há mineração (proof of work, prova de trabalho), mas sim participação (proof of stake). Nesta modalidade de consenso, quem tem ativos da rede, ganha parte das novas moedas geradas.

Publicidade:

Banner Bitcoin Taxa Zero

Desta maneira, o staking significa obter rendimentos em algum protocolo que utiliza PoS (proof of stake). Alguns analistas estão prevendo que 2019 pode ser o ano do “staking”, conforme artigo da Meltem Demirors, examina detalhadamente todo esse mercado.

Numa tabela com os principais projetos, a autora analisa o rendimento de cada, chegando a 4,8% ao ano, no agregado. Esse rendimento ocorre na própria cripto do protocolo, portanto, o investidor segue correndo o risco de “câmbio”, pois seu staking é denominado no criptoativo.

Em meados de março, um novo blockchain que utiliza PoS foi ao ar: o Cosmos. Assim, como o Polkadot (outro que usa PoS), a ideia do Cosmos é prover um blockchain interoperável, ou que permita interligar outros blockchains. Para quem quiser entender mais sobre as semelhanças e diferenças entre cada, recomendo este artigo.

Atenta a esta tendência, a Coinbase anunciou no último dia 29 um serviço de “staking” para clientes que detenham Tezos (XTZ). Além disso, a empresa californiana pretende também permitir governança do projeto MakerDAO por meio da sua plataforma. Assim, todos aqueles que custodiam seus ativos com a Coinbase podem participar dos processos de votação que ocorrem nas respectivas redes.

Nessa batalha de padrões — em essência cada protocolo é um padrão tecnológico –, o Ethereum é quem mais sofre com a concorrência. Alguns desenvolvedores, frustrados pelo avanço da governança no protocolo, têm se expressado publicamente no twitter. No dia 30 de março, Lane Rettig tuitou afirmando que a “governança do ethereum fracassou”. Talvez um exagero, como ele próprio conclui, mas, sem dúvida, a questão da governança parece estar pendente de resolução no Ethereum.

Mudando o foco para o sistema financeiro tradicional, vale mencionar a iniciativa do governo russo, noticiada em meados de março, de uma peça legislativa para criar um novo sistema de pagamentos alternativo ao SWIFT. Fruto das constantes sanções que a Rússia vem sofrendo dos EUA, Putin está decidido a encontrar um novo caminho.

Para encerrar, é com enorme prazer que anunciamos nosso apoio efusivo a proposta de melhoria submetida pelo desenvolvedor Luke Dash Jr. para fixar um preço mínimo de US$ 50 mil para o bitcoin. O BIP (Bitcoin Improvement Proposal) completo pode ser lido aqui.

Bons negócios a todos!
(o último parágrafo é primeiro de abril, ok?)

Fernando Ulrich,
Analista-Chefe da XDEX.
www.xdex.com.br

Adicionar um comentário