Cripto Semanal #21

Cripto Semanal #21

Institucional
29 de abril de 2019 por XDEX
94
Os últimos dias foram de correção no mercado de criptoativos. Em termos globais, o valor de mercado total regrediu abaixo de US$ 170 bilhões. Alguns ativos sofreram quedas maiores, como o Bitcoin Cash. Uma correção já era esperada por alguns analistas, especialmente depois dos rallys desde o início de abril. Os assinantes do Crypto Fragility
Banner Cripto Semanal XDEX

Os últimos dias foram de correção no mercado de criptoativos. Em termos globais, o valor de mercado total regrediu abaixo de US$ 170 bilhões. Alguns ativos sofreram quedas maiores, como o Bitcoin Cash.

20190429 Tabela - Cripto Semanal #21

Uma correção já era esperada por alguns analistas, especialmente depois dos rallys desde o início de abril. Os assinantes do Crypto Fragility Model já vinham sendo alertados sobre níveis elevados de fragilidade na escala de curtíssimo prazo. Quem tiver interesse em saber mais, pode acessar por este link.

Agora, houve algum gatilho para esta queda? Algum catalisador? Sim, houve. E não causou nenhuma surpresa no mercado. Mais uma vez, voltou à cena o dólar tether, ou USDT, token emitido pela Tether Limited e lastreado no dólar 1 para 1.

Qual foi a notícia desta vez? Na quinta-feira, dia 25 de abril, a promotoria geral do estado de Nova York divulgou uma ação obrigando a Bitfinex a “cessar de acobertar” informações relevantes sobre a perda de US$850 milhões de fundos. Segundo o processo, a exchange de hong kong teria tido acesso bloqueado aos seus recursos e estaria impossibilitada de honrar saques de clientes. Para remediar o imbróglio, a Bitfinex contraiu um empréstimo superior a US$ 700 milhões da empresa afiliada Tether Limited.

Publicidade:

Banner Bitcoin Taxa Zero

Eis que se confirma o que muitos (inclusive este vos escreve) suspeitavam: a relação simbiótica entre Bitfinex e Tether poderia levar a uma criação de tokens sem lastro (compra a crédito) — especialmente depois da mudança nos termos de serviço da Tether, onde deixava-se claro a possibilidade de deter reservas na forma de “empréstimos a terceiros”.

Porém, segundo as investigações da promotora nova-iorquina, o problema é ainda pior. Em vez de comprar tokens a crédito, a Bitfinex está sendo socorrida pela Tether por meio de recursos usados como reserva. Isso não apenas não resolve a situação, como coloca a própria Tether num estado de iliquidez delicado.

No centro de toda a complicação está uma empresa até hoje pouco conhecida chamada Crypto Capital. Fundada no Panamá, mas sediada na Suíça, a empresa fornece serviços bancários para algumas exchanges notórias da indústria, como QuadrigaCX (aquela cujo dono canadense teria supostamente falecido e levado consigo as senhas das carteiras dos criptoativos) e a Bitfinex. Algumas das contas da Crypto Capital foram congeladas e com isso recursos da Bitfiniex ficaram inacessíveis.

Algumas lições podem ser tiradas de todo o episódio. Primeiro, o caso evidencía a precária situação nos relacionamentos bancários das empresas do setor de criptoativos. Essa é uma realidade, infelizmente, global.

Segundo as suspeitas, ou preocupações com a Tether Limited e os riscos do seu modelo e sua relação umbilical com a Bitfinex se mostraram válidas.

Por fim, sendo o USDT/BTC o principal par de negociação para várias exchanges globais (Binance, por exemplo), é provável que ainda não tenhamos visto o desfecho final do caso. No curto a médio prazo, não me surpreenderia turbulências no mercado causadas pelo USDT e suas complicações intrínsecas.

Uma nota final: a Samsung anunciou que está desenvolvendo um projeto (ou uma Samsung coin) na plataforma do Ethereum. Aguardemos novas informações.

Uma boa semana a todos!

Fernando Ulrich,
Analista-Chefe da XDEX.
www.xdex.com.br

Adicionar um comentário