Cripto Semanal #39

Cripto Semanal #39

Institucional
4 de setembro de 2019 por XDEX
86
Ainda na quarta da semana passada, a cotação de vários criptoativos chegou a cair cerca de 10%. No caso do bitcoin, a queda registrada foi da ordem de 7%. Durante os dias seguintes, o mercado seguiu nesses patamares de preço. Porém, no dia primeiro de setembro, um novo rally recolocou o preço do bitcoin de
Banner Cripto Semanal XDEX

Ainda na quarta da semana passada, a cotação de vários criptoativos chegou a cair cerca de 10%. No caso do bitcoin, a queda registrada foi da ordem de 7%. Durante os dias seguintes, o mercado seguiu nesses patamares de preço. Porém, no dia primeiro de setembro, um novo rally recolocou o preço do bitcoin de volta acima dos US$ 10 mil.

E como tem sido a tendência de 2019, o índice de dominância do bitcoin subiu ainda mais, ultrapassando 70%. Interessante notar que, ao ponderar esse indicador pela liquidez dos diferentes ativos, a dominância do BTC alcançaria cerca de 90%, conforme aponta um estudo da Arcane Research.

20190902 Tabela - Cripto Semanal #39

Derivativos no mercado de criptos

Enquanto os contratos futuros da Bakkt não começam a ser negociados — o que, em tese, ocorrerá a partir do dia 23 agora –, outra empresas estão aproveitando as oportunidades no mercado de derivativos de criptos. No dia 2 de setembro, a gigante Binance anunciou a compra da JEX, uma plataforma de derivativos de criptos. A exchange do CEO Changpeng Zhao está de olho na liderança da Bitmex.

As finanças descentralizadas

Outra tendência em 2019 tem sido o nicho de DeFi, decentralized finance, muito propagado na rede do Ethereum por meio do projeto MakerDAO e seu stable token DAI. Por uma série de contratos inteligentes referenciados uns aos outros, numa espécie de derivativos sintéticos programadas em blockchain, é possível emprestar o token DAI a uma taxa de 11,5% ao ano.

Publicidade:

728x90 2 - Cripto Semanal #39

Dado que o token é estabilizado em relação ao dólar, Vitalik questionou a sabedoria do mercado no twitter buscando entender por que a discrepância entre o Treasury de 10 anos, que paga 1,5% e o DAI que está rendendo 11,5% a.a. Da forma que entendo, são instrumentos financeiros similares, porém com estruturas de risco completamente distintas — a começar pelo fato do DAI ser emitido num contrato inteligente em blockchain sujeito a falhas de software. Quem tiver mais interesse, recomendo a análise do blogueiro canadense JP Koning, vale a pena a leitura.

ETF de bitcoin aprovado?

E, finalmente, foi aprovado o ETF de bitcoin. Bem, na verdade, não é bem isso. A VanEck, uma das empresas que está buscando aprovação de um ETF junto à SEC, obteve o aval para oferecer um produto mais similar ao Bitcoin Investment Trust da Grayscale Investiments que a um ETF de verdadeiro. Apenas investidores qualificados terão acesso ao novo instrumento. A saga da aprovação do ETF continua.

Criptoativos no Balanço de Pagamentos do Brasil

Por fim, uma novidade interessante: na última publicação das estatísticas do Balanço de Pagamentos do Brasil, veiculada à imprensa no dia 26 de agosto, o Bacen inclui a “compra e venda de criptoativos” na conta de exportação e importação de bens. Seguindo a orientação do órgão competente do Fundo Monetário Internacional (FMI), criptoativos são “ativos não-financeiros produzidos, o que implica sua compilação na conta de bens do balanço de pagamentos.” Ademais, a atividade de “mineração de criptomoedas, portanto, passa a ser tratada como um processo produtivo.”

Sinal dos tempos.

Uma boa semana a todos,
Fernando Ulrich.

Adicionar um comentário