Cripto Semanal #44

Cripto Semanal #44

Institucional
9 de outubro de 2019 por Fernando Ulrich
127
Se compararmos apenas semana contra semana, a cotação do bitcoin e vários ativos se manteve relativamente estável. Porém, se analisarmos as movimentações durante esses dias, veremos toda a volatilidade, o teste do suporte de US$ 7.700 e a rápida recuperação de volta ao patamar de US$ 8.250. Alta expressiva nas Altcoins Algumas altcoins tiveram alta
Banner Cripto Semanal XDEX

Se compararmos apenas semana contra semana, a cotação do bitcoin e vários ativos se manteve relativamente estável. Porém, se analisarmos as movimentações durante esses dias, veremos toda a volatilidade, o teste do suporte de US$ 7.700 e a rápida recuperação de volta ao patamar de US$ 8.250.

20191008 Tabela 1 - Cripto Semanal #44Alta expressiva nas Altcoins

Algumas altcoins tiveram alta mais expressiva nesse período, fazendo com que o índice de dominância do BTC voltasse abaixo de 67%. Em termos globais, o valor de mercado subiu levemente, situando-se ao redor de US$ 222 bilhões.

Duas importantes altcoins tiveram valorização considerável nesta semana: ether, da rede Ethereum, e ada, da rede Cardano. As duas, por sinal, estão planejando uma alteração complexa no protocolo para o primeiro trimestre de 2020: a transição para o Proof-of-Stake (PoS, prova de participação/propriedade).

Atualizações na rede do Ethereum e da Cardano

Sempre esteve no roadmap de ambas as redes a mudança de Proof-of-Work (PoW, prova de trabalho). Contudo, esse novo algoritmo de consenso altera significamente os incentivos dos protocolos. Saem de cena os mineradores e seus computadores potentes, entram os grandes detentores de moedas com poder de voto no processo de consenso da rede.

Publicidade:

Banner Bitcoin Taxa Zero

Por ser tão drástica, e ao mesmo tempo sensível, os desenvolvedores preferem a cautela do que apressar uma mudança profunda nas regras do protocolo. Segundo notícia da Coindesk, ambos os blockchains estão almejando o primeiro trimestre do ano que vem para esse “relançamento”. Seguiremos monitorando de perto para avaliar os possíveis impactos na cotação de cada ativo.

“A natureza do dinheiro está mudando”

No mundo das moedas fiduciárias, vale a pena comentar a carta enviada por dois congressistas americanos ao presidente do Federal Reserve Jerome Powell. “Como você está ciente, a natureza do dinheiro está mudando”, assim os autores iniciam a carta.

Citando uma série de acontecimentos recentes no campo das moedas digitais emitidas por bancos centrais, como o e-krona da Suécia, o e-Peso do Uruguai e, sobretudo, o projeto da China (o qual supostamente estará operacional em no começo de 2020), os congressistas questionam o chairman Powell sobre a possibilidade de desenvolver o dólar americano puramente digital.

O anúncio da Libra do Facebook definitivamente ascendeu a luz amarela nos bancos centrais. Parece haver agora uma “corrida” para o lançamento da versão digital das moedas fiduciárias. A preocupação dos congressistas americanos é válida. Especialmente num cenário geopolítico com China se contrapondo ao restante do mundo democrático.

Mas seja o renminbi digital, seja o dólar digital, nenhuma das duas formas de moeda superará o bitcoin em termos de descentralização e de escassez.

Um ativo não inflacionável e inconfiscável

Como já escrevi anteriormente, um ativo não inflacionável e inconfiscável é extremamente valioso. Esse valor, contudo, só é percebido em sua plenitude quando a necessidade se aproxima. Precisamente nesta situação se encontram os cidadãos de Hong Kong. Após semanas de protestos e medidas emergenciais e restritivas pela administração da ilha, os temores de uma corrida bancária e controles de capitais crescem dia após dia.

E, com isso, cresce também o interesse por bitcoin, conforme ilustrado pelo Google Trends. Ao fim de setembro, a busca pelo termo “comprar bitcoin” em Hong Kong bateu recorde do último ano.

Ninguém precisa de bitcoin, até o dia em que precisa.

Caso tenha perdido alguma carta semanal, clique aqui

Uma boa semana a todos,
Fernando Ulrich.

Adicionar um comentário