Cripto Semanal #9

xdex criptomoedas semanal fernando ulrich

A volatilidade dos criptoativos cedeu na última semana, registrando o menor nível deste ano tanto para o bitcoin quanto para o ether.

À exceção do litecoin e do bitcoin cash, os preços dos demais ativos negociados na XDEX mostraram relativa estabilidade.

XDEX - Tabela do volume de bitcoin e ether - 20190204
XDEX - Tabela de cotação de bitcoin e outras criptomoedas - 20190204

Um aumento das vendas de XRP nada desprezível

Em seu blog, a Ripple divulgou que arrecadou US$ 535,6 milhões por meio de vendas de XRP ao mercado no consolidado de 2018. Deste montante, US$ 171,7 milhões foram vendas diretas a investidores institucionais, sendo o restante correspondente a “vendas programáticas” (programmatic sales). No ano passado, as vendas totalizaram US$ 181,6 milhões, ou seja, um aumento das vendas de XRP nada desprezível.

Independentemente da visão de cada um em relação aos fundamentos do XRP, um fato incontestável é que a Ripple detém a maior parte dos XRP em existência.

Sendo assim, o investidor precisa estar atento aos movimentos da empresa já que, assim como um banco central, ela pode injetar e retirar liquidez em XRP com enorme potencial de influenciar o preço do ativo. 

Novo pedido de um ETF de Bitcoin

Na última Cripto Semanal, comentamos sobre a retirada do ETF de Bitcoin da CBOE.

Pois nesta quinta-feira, dia 31 de janeiro, a empresa patrocinadora VanEck já protocolou um novo pedido com as alterações necessárias. Agora o pedido seguirá o rito normal da SEC. Mais alguns meses de espera, portanto. 

Em outra atualização importante, a Fidelity Digital Assets, subsidiária da gigante Fidelity Investments, anunciou que está num momento de teste com alguns poucos clientes para afinar a operação e finalmente ir a mercado nos próximos meses. 

A morte de um CEO junto à sua exchange

Para muitos investidores mundo afora, a entrada de um player com essa história e porte é fundamental para o amadurecimento do mercado de criptoativos. Especialmente porque muitas exchanges em operação não são vistas como sérias ou profissionais.

O mais recente caso de absoluta má gestão e falta de planejamento foi o da exchange canadense QuadrigaCX, cujo fundador e CEO, Gerald Cotten, faleceu inesperadamente em dezembro. 

O falecimento da figura principal de uma empresa é, sem dúvidas, um enorme percalço que afeta as atividades da empresa no curto prazo. Mas, no caso da QuadrigaCX, o contratempo é irreversível: a morte do CEO significou a falência da exchange, já que ele era o único responsável pela gestão da carteira fria (cold storage) e não havia nenhum backup com ninguém mais.

A empresa deve mais de US$ 190 milhões e nenhum funcionário nem a sua esposa conseguem acessar os fundos. 

Novo projeto patrocinado pela BitGo

No front tecnológico, interessante notar a criação do WBTC (wrapped bitcoin), um token desenvolvido no padrão do Ethereum ERC-20 lastreado 1 para 1 com o bitcoin. Por trás da empreitada está a BitGo, uma das principais companhias de custódia de ativos digitais.

O projeto é relativamente centralizado — a BitGo é a “custodiante inicial” –, mas os responsáveis esperam que o modelo possa evoluir ao longo do tempo. Essa é a primeira “ponte” entre o Bitcoin e o Ethereum. 

Para encerrar o Cripto Semanal de hoje, recomendo a leitura do artigo de Joel Monegro da Placeholder.vc. Monegro traz algumas reflexões sobre os modelos de fundos mais apropriados às chamadas “cryptonetworks”.

Por um lado, os hedge funds oferecem liquidez e alta atividade em relação às suas posições. Por outro, temos os venture funds com a noção de capital comprometido e um horizonte de investimento muito mais alongado.

Qual desses modelos seria mais adequado para desenvolver as redes dos criptoativos? 

Uma boa semana a todos.

Se você perdeu o Cripto Semanal #8, confira aqui.

Fernando Ulrich,
Analista-Chefe da XDEX.
www.xdex.com.br

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *