O Mercado de Criptomoedas após entrada do Facebook

Como a criação da Libra, moeda do facebook, está impactando o mercado

O anúncio da Libra, moeda que o Facebook deve lançar em 2020 com o apoio de 27 empresas, como Visa, Mastercard, Amazon e Uber, fez com que a atenção dos bancos centrais de todo mundo se voltasse para o mundo das criptomoedas.

Isso porque, esse lançamento deve ultrapassar os limites do mercado financeiro. “As pessoas estão começando a questionar por qual motivo elas só podem usar o dinheiro do governo. Acaba sendo uma ameaça para o papel dos bancos centrais”, explica Felipe Sant’Ana, sócio do Paradigma Capital.

E é justamente por esse temor, que as agências regulatórias estão de olho no Facebook. Nessa semana, a empresa de Mark Zuckerberg foi chamada para dar explicações ao Congresso nos EUA. “Quem imaginaria há dez anos que o presidente dos Estados Unidos estaria preocupado com uma moeda digital”, complementa Sant’Ana.

No entanto, o que pode ser um problema para a Libra, deve se tornar uma vantagem para o bitcoin por exemplo. “As agências têm dificuldade em regular o bitcoin, mas estão tentando encontrar uma forma de regular a Libra. O Facebook só vai conseguir lançar sua moeda se ele se adequar aos marcos regulatórios”, conta.

Com isso, apesar da Libra ser um gatilho para alguém começar a se interessar por criptomoedas —  já que deve ficar bem em evidência nos noticiários até o próximo ano, estima-se que o bitcoin seja preferido. “O bitcoin foi criado para usar sem precisar confiar em uma instituição. A tecnologia nos permite escolhas, incluindo transacionar seu dinheiro sem vigilância”, conta.

Ainda para Felipe, esse é o momento para quem quer começar a investir em bitcoins. De 31 de dezembro de 2018 até 19 de junho de 2019, o mercado de criptomoedas teve um crescimento de 127%. O principal conselho do especialista é estudar sobre o tema. “Há bastante conteúdo gratuito na internet sobre bitcoins”, conta.

Outra dica é o investidor buscar por uma corretora robusta, ágil e que tenha uma plataforma estável, como é a XDEX, do grupo XP, que permite a compra de bitcoins com a corretagem zero.

Leia também:

Sem alarde, bitcoin acumula alta de 53% em 2019.

 

Deixe uma Resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *